Por Emma Farge e Emma Thomasson

GENEBRA (Reuters) – O chefe de operações de campo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) expressou um otimismo cauteloso a respeito do trabalho com autoridades do Taliban depois de este tomar o poder no Afeganistão, citando as manifestações iniciais de apoio do grupo à educação das meninas.

O Unicef ainda está proporcionando ajuda à maioria das partes do país e realizou reuniões iniciais com novos representantes do Taliban em cidades recém-ocupadas como Kandahar, Herat e Jalalabad.

“Temos conversas em andamento, estamos bastante otimistas com base nestas conversas”, disse o chefe de operações da entidade no Afeganistão, Mustapha Ben Messaoud, em uma entrevista coletiva na Organização das Nações Unidas (ONU), acrescentando que 11 de 13 escritórios de campo estão funcionando no momento.

“Não temos sequer um problema com o Taliban nestes escritórios de campo.”

O Taliban governou o Afeganistão entre 1996 e 2001 seguindo a lei islâmica rígida. As meninas não podiam frequentar escolas, e as mulheres não podiam trabalhar, tinham que cobrir o rosto e ser acompanhadas por um parente homem se quisessem sair de casa.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou na segunda-feira para as restrições “arrepiantes” aos direitos humanos sob o comando do Taliban e para as violações crescentes contra mulheres e garotas, e nesta terça-feira outra autoridade da ONU alertou que milhares de ativistas afegãos dos direitos das mulheres correm risco.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).