Por Kate Abnett

ESTRASBURGO (Reuters) – A União Europeia prometeu nesta quarta-feira aumentar o apoio financeiro para ajudar países mais pobres a combaterem a mudança climática e se adaptarem a seus impactos, e pediu que os Estados Unidos também façam mais nesse sentido.

“Agora proporemos quatro bilhões de euros adicionais para o financiamento do clima até 2027”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em um discurso ao Parlamento Europeu em Estrasburgo.

“Mas esperamos que os Estados Unidos e nossos parceiros também façam mais. Isto é vital, porque sanar a defasagem do financiamento do clima juntos, os EUA e a União Europeia, seria um aceno muito forte para a liderança global do clima”.

Os quatro bilhões de euros adicionais são para o período 2021-2027 e sairão do Orçamento da UE, disse uma porta-voz da Comissão Europeia.

O bloco já contribui com 25 bilhões de dólares anuais para o financiamento do clima, disse Von der Leyen.

As finanças climáticas devem ser um tema decisivo na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26), em novembro, na qual líderes mundiais tentarão acertar compromissos para cortar as emissões mais rápido objetivando conter uma mudança climática catastrófica.

A sete semanas da COP26, o dinheiro continua sendo um tema espinhoso — países ricos não cumpriram sua promessa de 2009 de proporcionar 100 bilhões de dólares anuais de financiamento do clima para países mais pobres até 2020.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).