SANTIAGO (Reuters) – O laboratório chinês Sinovac avaliou nesta sexta-feira terrenos para construir uma fábrica de vacinas no Chile, que, se efetivada, poderá ficar pronta no primeiro trimestre do ano que vem.

O projeto avança no momento em que o país sul-americano implementa um programa de vacinação contra a Covid-19 rápido e de grande escala usando, principalmente, a CoronaVac, imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa.

Uma delegação de executivos da Sinovac esteve nesta semana em reuniões com autoridades e visitando possíveis locais tanto na capital Santiago como no norte do país.

“É um investimento que pode ser realizado muito rapidamente e que fará com que a fábrica, que vai ter um alto nível tecnológico, entre em operação no primeiro trimestre do ano que vem”, disse o ministro da Economia do Chile, Lucas Palacios, durante uma visita da delegação à cidade de Antofagasta, no norte do país.

Ele explicou que a unidade projetada produziria 50 milhões de doses anuais de vacinas e que, além da CoronaVac, poderia produzir vacinas contra hepatite B, gripe e outras doenças.

Espera-se que a Sinovac tome uma decisão em breve sobre a instalação, que se concentrará não apenas em atender a demanda do mercado chileno, mas também do restante da região.

(Reportagem de Fabián Andrés Cambero)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).