MOSCOU (Reuters) – A Rússia disse nesta segunda-feira que suspenderá as atividades de sua missão diplomática na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) porque a aliança militar ocidental expulsou oito russos em meio a uma crise causada por uma suposta espionagem.

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse que, em represália, funcionários da missão militar da Otan em Moscou perderão as credenciais a partir de 1º de novembro e que o escritório de informação da aliança na capital russa será fechado.

“Se membros da Otan tiverem qualquer assunto urgente, podem contatar nosso embaixador na Bélgica sobre estas questões”, disse Lavrov em uma coletiva de imprensa.

No dia 6 de outubro, a Otan disse que expulsou oito membros da missão russa na aliança que disse serem “autoridades de inteligência russas não-declaradas”.

À época, Moscou disse que as expulsões minavam as esperanças de normalização das relações com a entidade liderada pelos Estados Unidos.

“A Otan não está interessada em um diálogo igualitário e em um trabalho conjunto”, disse Lavrov nesta segunda-feira ao anunciar o fechamento da missão russa. “Se este é o caso, não vemos a necessidade de continuar fingindo que mudanças no futuro previsível são possíveis.”

A disputa marca a deterioração mais recente dos laços entre os dois lados, já em seu pior momento desde a Guerra Fria. A Rússia acusa a Otan de atividades provocadoras perto de suas fronteiras e recentemente realizou grandes exercícios militares.

(Por Angelina Kazakova e Andrey Ostroukh)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).