BRUXELAS (Reuters) – A polícia disparou gás lacrimogêneo e usou canhões de água no domingo para dispersar manifestantes que atacaram policiais com pedras e fogos de artifício quando um protesto em Bruxelas contra restrições de Covid-19 impostas pelo governo se tornou violento.

Alguns milhares de manifestantes fizeram uma passeata pacífica pelo centro da capital belga até o bairro que abriga a sede de instituições da União Europeia, onde o protesto atingiu seu alvo.

Na sede da UE, um grupo de manifestantes com capuzes negros bradando “liberdade” começou a lançar pedras contra a polícia, que reagiu com gás lacrimogêneo e canhões de água, de acordo com filmagens e reportagens de jornalistas da Reuters presentes.

Os manifestantes protestavam contra regras impostas em outubro que obrigam as pessoas a mostrarem passes para entrar em bares e restaurantes.

“Não consigo tolerar discriminação de nenhuma forma, e agora há o passe da vacina, que é discriminatório, sanções contra cuidadores (não-vacinados) que são discriminatórias também, há vacinação obrigatória vindo por aí”, disse um manifestante, o professor de artes marciais Alain Sienaort.

O protesto ocorreu na esteira de novas medidas anunciadas na sexta-feira para conter uma das maiores taxas de infecção da Europa, entre elas o uso obrigatório de máscaras para a maioria das crianças do ensino primário e uma prorrogação das férias escolares.

(Por John Cotton, Sean Carter e Francesco Guarascio)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).