TÓQUIO (Reuters) – O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, pediu às pessoas nesta sexta-feira que se abstenham de viajar, já que os casos de Covid-19 atingiram novos recordes em Tóquio e em todo o país, pressionando o sistema de saúde.

Seus comentários vêm na esteira de recomendações de especialistas de saúde para que se reforcem os estados de emergência atualmente em vigor na capital e em outros locais.

Dias após o fim da Olimpíada de Tóquio, os organizadores paralímpicos decidiram realizar o evento praticamente sem espectadores para limitar os riscos de infecção, noticiou a mídia local.

Suga disse que o governo se empenhará em conter o fluxo de pessoas em áreas comerciais, e pediu aos moradores para evitarem viajar durante o feriado japonês tradicional do Obon.

“Gostaria de pedir aos cidadãos que evitem voltar às suas cidades-natais ou viajar, e a se absterem de sair sem necessidade”, disse Suga aos repórteres.

O Japão enfrenta uma quinta onda de Covid-19, impulsionada pela variante Delta altamente infecciosa. Uma mulher relacionada à Olimpíada foi identificada como o primeiro caso nacional da variante lambda do vírus, identificada primeiramente no Peru, relatou a agência de notícias Kyodo nesta sexta-feira citando fontes do governo.

Os organizadores da Paralimpíada, que deve começar em 24 de agosto, combinaram na quinta-feira seguir o exemplo de seus colegas olímpicos e limitar os espectadores, noticiou o jornal Yomiuri citando fontes dos Jogos.

(Da redação de Tóquio)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).