Por Sanjeev Miglani

NOVA DÉLHI (Reuters) – O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, comunicou ao mundo nesta terça-feira que telefonou ao líder espiritual do Tibete, o Dalai Lama, para lhe desejar um feliz aniversário ao completar 86 anos, ignorando qualquer possível desaprovação da China.

Pequim vê o Dalai Lama, que vive exilado no norte indiano há mais de seis décadas, como um separatista perigoso e desaprova qualquer interação com ele.

Os líderes indianos costumam ser circunspectos nos contatos públicos para evitar aborrecer Pequim, mas como as relações da Índia com a China estão em baixa Modi disse em um tuíte que transmitiu seus votos pessoalmente.

“Falei pelo telefone com Sua Santidade, o @DalaiLama, para transmitir saudações por seu 86º aniversário. Desejamos a ele uma vida longa e saudável”, disse o premiê.

Vários líderes de Estados indianos saudaram subsequentemente o Dalai Lama, dizendo que seus valores, ensinamentos e estilo de vida são uma inspiração para a humanidade.

Tropas chinesas tomaram o Tibete em 1950, o que Pequim classifica como uma “libertação pacífica”, e o Dalai Lama fugiu para o exílio em 1959 na esteira de uma rebelião fracassada contra o controle chinês.

Nova Délhi reconhece o Tibete como uma região autônoma da China, mas tem várias disputas territoriais com os chineses na fronteira himalaia de 3.500 quilômetros.

(Reportagem adicional de Ben Blanchard em Taipé)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).