Por Kylie MacLellan e Elizabeth Piper

LONDRES (Reuters) – O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, rebaixou seu secretário das Relações Exteriores, Dominic Raab, nesta quarta-feira, em meio a uma grande reforma ministerial, retirando os ministros mais criticados para redirecionar o foco do governo para a melhora do nível de vida após a Covid-19.

Depois de meses de críticas ao seu primeiro escalão por passos em falso e gafes, Johnson finalmente iniciou um processo que alguns disseram que ele queria realizar muitas semanas antes para fazer as mudanças que sente precisar para levar adiante sua pauta de “aprimoramento”.

Johnson faz do enfrentamento da desigualdade regional uma prioridade, parte de uma pauta estabelecida em 2019, quando ele conquistou a maioria parlamentar mais ampla para o Partido Conservador desde Margaret Thatcher, mas que tem sido ofuscada pela pandemia de Covid-19.

“Sabemos que o público também quer que atendamos suas prioridades, e é por isso que o primeiro-ministro quer fazer com que tenhamos o time certo à disposição para isso”, disse o porta-voz de Johnson a repórteres.

Uma fonte do escritório do premiê disse que este nomeará ministros “com foco na união e no aprimoramento de todo o país”.

O chanceler Raab, que enfrentava pedidos para que renunciasse desde que saiu de férias em Creta no momento em que o Taliban avançava sobre capital afegã Cabul, perdeu o cargo de grande prestigio e foi rebaixado a ministro da Justiça.

Para amenizar o golpe, ele também foi nomeado vice-primeiro-ministro, um papel que já exerceu informalmente ao assumir o governo no ano passado enquanto Johnson estava hospitalizado com Covid e lutava pela vida.

(Reportagem adicional de Kate Holton e William James)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).