Por Philip Pullella e Michele Kambas

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Francisco fez arranjos para que 50 imigrantes de Chipre se instalem na Itália para marcar sua viagem à ilha mediterrânea na semana que vem, disse uma fonte do Vaticano nesta sexta-feira.

Os 50 serão reassentados após a viagem, que começa na quinta-feira, mas dificilmente antes do Natal devido a questões de logística, acrescentou a fonte.

Em Chipre, o porta-voz governamental Marios Pelekanos disse que o Vaticano expressou a intenção de reassentar vários imigrantes da ilha em Roma, mas não deu detalhes.

“Esta é uma expressão de solidariedade tangível do chefe da Igreja Católica Romana a pessoas necessitadas, afirmando que o Vaticano reconhece o problema que a República do Chipre enfrenta hoje por causa dos fluxos migratórios crescentes e a necessidade de distribuição justa entre Estados-membros da UE (União Europeia)”, disse.

A ilha do leste do Mar Mediterrâneo, que é o país da UE mais próximo do volátil Oriente Médio, diz ter sido inundada por recém-chegados nos últimos anos.

A esta altura do ano, a chegada de imigrantes já aumentou 38% quando comparada com todo o ano de 2020, disse o governo de Chipre.

Muitos atravessam a porosa “linha verde”, o legado de um cessar-fogo de 1974 decretado após uma invasão turca ocorrida na esteira de um golpe de Estado apoiado pela Grécia, que divide a ilha entre o norte turco-cipriota e o sul greco-cipriota reconhecido internacionalmente.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).