BUENOS AIRES (Reuters) – Um grupo de parlamentares de oposição da Argentina apresentará nesta sexta-feira um pedido de impeachment contra o presidente Alberto Fernández por causa do “desempenho ruim na administração da pandemia de Covid-19”, disseram os parlamentares.

O pedido é essencialmente simbólico, e vem em um momento de tensões políticas crescentes antes das eleições parlamentares marcadas para 14 de novembro — até patrocinadores da medida admitiram que não têm votos para aprová-la.

Entre outras coisas, eles acusam o líder peronista de ter violado as regras de quarentena do país ao realizar uma pequena festa em sua residência. O escândalo estourou quando fotos de uma festa ocorrida na moradia presidencial vieram a público.

A reunião de menos de uma dúzia de pessoas teria sido uma comemoração do aniversário da primeira-dama Fabiola Yañez em julho do ano passado. Um decreto governamental impedia tais reuniões à época.

Um projeto de lei a ser apresentado por membros do partido Juntos pela Mudança ainda nesta sexta-feira pede o impeachment de Fernández “por violação de medidas adotadas pelas autoridades para evitar a disseminação de uma epidemia”.

O país de 45 milhões de habitantes acumula 108.500 mortes relacionadas à Covid-19, de acordo com dados oficiais.

Também nesta sexta-feira, o chefe de gabinete do presidente, Santiago Cafiero, reconheceu que a reunião foi “um erro”.

(Por Eliana Raszewski e Lucila Sigal)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).