TÓQUIO (Reuters) – O novo primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, está tendo dificuldade para se conectar com os eleitores dois dias depois de assumir o cargo e montar seu novo governo, mostraram diversas pesquisas da mídia local na terça-feira.

O diário Asahi estimou a aprovação de Kishida em 45%, enquanto o Mainichi a colocou em 49%. De perfil mais conservador, o Yomiuri disse que 56% apoiam o governo, e o Nikkei falou em 59%.

Em todas as sondagens, o endosso ao novo governo foi menor do que o de seu antecessor, Yoshihide Suga, quando ele chegou ao poder no ano passado, e o Asahi relatou uma diferença de 20 pontos percentuais.

“Estou ciente dos resultados das pesquisas, mas também acredito que existe uma discrepância e tanto, dependendo da empresa que realizou a sondagem”, disse Kishida a repórteres na manhã desta quarta-feira.

“Seja como for, refletirei sobre minhas ações com base nestes resultados, inclusive os índices de aprovação baixos, e continuarei a trabalhar duro para a próxima eleição”, disse.

O consultor político Takuma Oohamazaki disse que os resultados não surpreenderam, dado que Kishida é popular dentro do Partido Liberal Democrata (PLD), mas tem problemas para angariar o apoio de eleitores indecisos.

(Por Sakura Murakami)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).