Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) – A Organização Mundial da Saúde (OMS) precisa ser fortalecida com mais financiamento e uma capacidade maior de investigar pandemias através de um novo tratado, disse uma comissão independente nesta segunda-feira antes de uma conferência de ministros da Saúde na semana que vem.

Os esforços para acabar com a pandemia de Covid-19 são irregulares, fragmentados e marcados por um acesso limitado a vacinas em países de baixa renda, enquanto os “saudáveis e abastados” dos países ricos recebem doses de reforço, disseram os especialistas de alto nível em sua análise mais recente.

As copresidentes da comissão, a ex-primeira-ministra neozelandesa Helen Clark e a ex-presidente liberiana Ellen Johnson Sirleaf, reiteraram um apelo por reformas urgentes. Entre elas estão um novo financiamento de ao menos 10 bilhões de dólares por ano para a prontidão pandêmica e negociações para um tratado pandêmico global.

Em maio, a comissão avaliou como a OMS e países-membros lidaram com a pandemia e disseram que um novo sistema de reação global deveria ser criado para que nenhum vírus futuro possa causar uma pandemia tão devastadora.

“Existe progresso, mas ele não é rápido ou coeso o suficiente para acabar com esta pandemia em todo o globo no futuro imediato ou evitar outra”, disse a comissão no relatório.

Segundo relatos, mais de 257 milhões de pessoas já foram infectadas pelo coronavírus SARS-CoV2 e 5,4 milhões morreram desde que os primeiros casos foram identificados no centro da China em dezembro de 2019, de acordo com uma contagem da Reuters.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).