ZURIQUE (Reuters) – O ritmo da mudança climática não está sendo desacelerado pela pandemia global de Covid-19, e o mundo continua atrasado em sua batalha para conter as emissões de carbono, disse uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quinta-feira.

A retração econômica relacionada ao vírus só causou uma redução temporária das emissões de CO2 no ano passado, o que não bastou para reverter os níveis crescentes de gases de efeito estufa na atmosfera, informou a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

“Chegou-se a pensar que os lockdowns da Covid teriam um impacto positivo… na atmosfera, o que não é o caso”, disse o diretor-geral da OMM, Petteri Taalas, em uma entrevista coletiva.

Em 2021, o mundo está ficando aquém da meta de se recuperar da crise da Covid-19 sustentavelmente e “não está indo na direção certa”, disse Taalas.

Metas de redução de emissões não estão sendo seguidas, e é cada vez maior a probabilidade de o mundo descumprir o objetivo do Acordo de Paris de reduzir o aquecimento global a 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais, disse a OMM em seu Relatório Unidos na Ciência de 2021.

“Este é um ano crítico para a ação do clima”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em um comunicado, e os resultados são uma “avaliação alarmante do quão fora de curso estamos”.

“Este ano testemunha um recrudescimento das emissões de combustíveis fósseis, concentrações de gases de efeito estufa continuando a crescer e eventos climáticos graves acentuados pelo homem que afetam a saúde, as vidas e o sustento em cada continente”.

(Por John Revill e Cecile Mantovani; redação adicional de Brenna Hughes Neghaiwi)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).