MILÃO (Reuters) – Todos os italianos provavelmente terão a chance de receber uma terceira dose de vacinas contra Covid-19 em 2022, e depois disso doses de reforço recorrentes serão necessárias, disse Walter Ricciardi, um conselheiro do Ministério da Saúde, ao diário Il Messaggero em uma entrevista publicada nesta quarta-feira.

No início deste mês, a agência reguladora de medicamentos italiana Aifa aprovou a chamada vacina de reforço para aqueles que podem ter uma proteção mais fraca dos esquemas convencionais de duas doses: pessoas imunocomprometidas, acima de 80 anos, moradores de casas de repouso e profissionais de saúde da linha de frente expostos ao vírus com frequência.

“Quanto à população geral, ainda temos que esperar”, disse Ricciardi ao jornal. “É presumível, entretanto, que a partir do próximo ano a dose de reforço tenha que ser tomada por todos com uma certa regularidade”, afirmou.

(Por Agnieszka Flak)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).