DUBAI (Reuters) – Um ataque cibernético interrompeu a venda de gasolina subsidiada no Irã nesta terça-feira, informou a mídia estatal, causando longas filas em postos de gasolina em todo o país semanas antes do aniversário dos protestos de rua de 2019 que provocados pelos aumentos nos preços dos combustíveis.

O Irã diz que está em alerta máximo para ataques online, que no passado atribuiu aos Estados Unidos e Israel. Enquanto isso, os Estados Unidos e outras potências ocidentais acusaram o Irã de tentar interromper e invadir suas redes.

“A interrupção no sistema de reabastecimento dos postos de gasolina … nas últimas horas, foi causada por um ataque cibernético”, disse a emissora estatal IRIB. “Especialistas técnicos estão corrigindo o problema e em breve o processo de reabastecimento … voltará ao normal.”

O Ministério do Petróleo disse que apenas as vendas com cartões inteligentes usados ​​para gasolina racionada mais barata foram interrompidas e os clientes ainda podem comprar combustível a preços mais elevados, informou a agência de notícias SHANA, ligada ao Ministério.

Vídeos publicados nas redes sociais mostraram placas de rua com mensagens como “Khamenei, onde está nossa gasolina?”, Em uma referência ao líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei.

A Reuters não conseguiu confirmar a autenticidade os vídeos de forma independente, mas a agência de notícias semioficial do Irã, Mehr, confirmou que algumas placas foram adulteradas.

Funcionários da indústria disseram à TV estatal que quase metade dos postos de gasolina foram reabertos enquanto os técnicos correram para ativar as configurações manuais depois que as funções online foram paralisadas por hackers. As autoridades garantiram que não havia falta de combustível e que os postos restantes seriam reabertos até o meio-dia de quarta-feira.

Em julho, os serviços de trem foram atrasados ​​por aparentes ataques cibernéticos, com hackers postando o número de telefone de Khamenei como o número para ligar para obter informações.

O vírus de computador Stuxnet, que se acredita ter sido desenvolvido pelos Estados Unidos e Israel, foi descoberto em 2010 depois que foi usado para atacar uma instalação de enriquecimento de urânio no Irã. Foi o primeiro exemplo conhecido publicamente de um vírus usado para atacar máquinas industriais.

(Reportagem Redação Dubai)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).