Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – O governo Biden disse que a maioria dos servidores federais precisa estar totalmente vacinada contra Covid-19 o mais tardar até 22 de novembro enquanto delineia regras para exigir que grandes empregadores façam seus funcionários se inocularem ou realizarem exames semanais.

Na semana passada, o presidente Joe Biden assinou um decreto exigindo que servidores federais que trabalham no Executivo sejam totalmente vacinados, com exceções limitadas.

Em uma diretriz a agências federais publicada em um site federal na segunda-feira, o governo Biden disse que as agências deveriam agir “com celeridade para que seus servidores sejam totalmente vacinados o mais rapidamente possível e não depois de 22 de novembro”.

Em julho, Biden disse que os servidores federais precisavam se vacinar ou passar por exames de Covid-19 frequentes, assim como outras medidas de segurança, como coberturas faciais obrigatórias em ambientes de trabalho e restrições a viagens oficiais.

A disparada recente de hospitalizações e mortes de Covid-19 nos EUA, causadas pela variante Delta do vírus, levou o governo a adotar uma postura mais dura quanto à vacinação, que vê como a melhor maneira de proteger a economia e acabar com a pandemia.

Separadamente, agências reguladoras federais estão esboçando um padrão de emergência temporário cobrindo mais de 80 milhões de empregados do setor privado que trabalham em negócios com mais de 100 funcionários.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).