Por Dawn Chmielewski

(Reuters) – Funcionários da Netflix faziam uma manifestação diante da empresa nesta quarta-feira, uma demonstração inédita de desafio para protestar contra a decisão da gigante do streaming de lançar o novo especial de comédia polêmico de Dave Chappelle, que dizem ridicularizar os transgêneros.

Um grupo de funcionários que se autointitula Team Trans* marcou a manifestação em frente aos escritórios da Netflix em um edifício de 13 andares de Sunset Boulevard, em Los Angeles, onde ativistas, figuras públicas e outros apoiadores pretendem apresentar uma “lista de solicitações” ao chefe de conteúdo Ted Sarandos.

“Não deveríamos ter que aparecer trimestralmente/anualmente para reagir a conteúdo danoso que impacta negativamente comunidades vulneráveis”, disse a organizadora Ashlee Marie Preston em uma publicação em uma rede social. “Ao invés disso, almejamos usar este momento para mudar a ecologia social em torno do que a liderança da Netflix considera entretenimento ético.”

Embora tais manifestações tenham se tornado lugar comum no Vale do Silício, onde funcionários do Facebook e do Google se envolvem em protestos explícitos para chamar atenção sobre políticas corporativas, acredita-se que esta seja a primeira contra a empresa pioneira de vídeo por streaming.

Sarandos provocou mais reação negativa com um memorando interno de 11 de outubro no qual reconheceu a linguagem provocadora de Chappelle, mas disse que ela não cruza o limite da incitação à violência.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).