AMSTERDÃ (Reuters) – Uma comissão de aconselhamento pandêmico da Holanda recomendou nesta quinta-feira a imposição do primeiro lockdown parcial da Europa Ocidental desde o verão local, pressionando o governo a adotar uma ação impopular para combater uma disparada da Covid-19.

O gabinete do primeiro-ministro interino Mark Rutte deve decidir as medidas na sexta-feira na esteira de uma recomendação da Equipe de Gerenciamento de Surtos, noticiou a emissora NOS.

É comum o governo seguir as recomendações da comissão de especialistas.

Entre as medidas sendo cogitadas estão cancelar eventos, fechar teatros e cinemas e adiantar os horários de fechamento de cafés e restaurantes, disse a reportagem da NOS. As escolas continuariam abertas.

Após um lockdown parcial de cerca de duas semanas, a entrada em locais públicos deveria ser limitada a pessoas que estão totalmente vacinadas ou se recuperaram recentemente de uma infecção pelo coronavírus, de acordo com o aconselhamento.

Mesmo com infecções atingindo níveis recordes, muitos países desenvolvidos adotam a visão de que as vacinações tornam lockdowns desnecessários.

O Reino Unido está contando com vacinas de reforço para aumentar a imunidade e tentar evitar sobrecarregar seu sistema de saúde.

Por enquanto, a Holanda oferece doses de reforço a um grupo pequeno de pessoas com sistemas imunológicos fragilizados, e começará a disponibilizá-las a pessoas de 80 anos ou mais em dezembro. Futuramente as doses adicionais estarão disponíveis a todas as pessoas com mais de 60 anos.

(Por Anthony Deutsch e Bart Meijer)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).