PARIS (Reuters) – A embaixada cubana em Paris afirmou nesta terça-feira que o seu prédio havia sido atacado por coquetéis molotov, causando sérios danos, mas nenhum ferimento à equipe diplomática.

A embaixada publicou fotos em sua conta oficial de Twitter dos danos ao prédio e condenou o ataque. Não afirmou quem acredita ter sido responsável.

“Os diretamente responsáveis por esses atos são aqueles que incitam violência e ódio contra nosso país”, disse o Ministério das Relações Exteriores de Cuba, pelo Twitter.

Uma fonte da polícia afirmou que uma investigação estava em andamento e acrescentou que o motivo por trás do incidente não era conhecido.

A fonte também confirmou que ninguém ficou ferido.

Cuba tem sido abalada por protestos contra uma profunda crise econômica, a maneira como o governo lidou com a pandemia de coronavírus e restrições às liberdades civis, o que levou o país comunista a restringir o acesso às redes sociais e plataformas de mensagens.

Os ministros das Relações Exteriores dos Estados Unidos e 20 outros países condenaram na segunda-feira as prisões em massa em Cuba e pediram o restabelecimento completo do acesso à internet.

O Ministério das Relações Exteriores da França condenou o ataque à embaixada cubana, acrescentando que uma investigação judicial foi aberta para tentar determinar quem está por trás da ação. Ele confirmou que houve alguns danos materiais, mas nenhum ferido.

(Por Sudip Kar-Gupta, Matthieu Protard e Sophie Louet)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).