Por Philip Pullella

ROMA (Reuters) – O papa Francisco, em visita a um cemitério militar no dia em que os católicos se lembram de seus mortos, pediu na terça-feira aos fabricantes de armas que “parem”, porque a guerra “engole os filhos da pátria”.

No Dia de Finados, Francisco celebrou uma missa no cemitério militar francês em Roma, local de sepultamento de cerca de 1.900 soldados franceses e marroquinos mortos na Segunda Guerra Mundial.

Francisco, que visita um cemitério a cada ano no dia de homenagem aos mortos, colocou rosas brancas e parou para orar em alguns dos túmulos e mencionou que um dizia “Desconhecido, morreu pela França, 1944”.

“Nem mesmo um nome. Mas no coração de Deus estão todos os nossos nomes. Esta é a tragédia da guerra”, declarou ele em um sermão improvisado.

“Mas … lutamos o suficiente para que não haja guerras, para que não haja economias de países que se fortaleçam com a indústria de armas?”

“Estas tumbas são uma mensagem de paz. Parem irmãos e irmãs, parem. Parem, fabricantes de armas, parem!”, disse ele, chamando os enterrados no cemitério entre as muitas “vítimas da guerra, que engole os filhos da pátria”.

Francisco fez muitos apelos pelo desarmamento e afirmou que as armas nucleares deveriam ser proibidas porque mesmo sua posse por motivos de dissuasão é “perversa” e indefensável.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).