CIDADE DO VATICANO (Reuters) – Não eram autorizações para deixar a cadeia, mas possivelmente a segunda melhor coisa depois disso.

Durante um dos verões mais quentes já registrados na Itália, o papa Francisco enviou 15 mil sorvetes a presidiários nas duas prisões de Roma, disse o Vaticano nesta terça-feira.

Um comunicado do escritório de caridade do papa disse que eles foram enviados para as duas prisões –a antiga prisão de Regina Coeli no rio Tibre, no centro, e a moderna prisão de Rebibbia, nos arredores da cidade.

Eles foram entregues em seu nome pelo cardeal polonês Konrad Krajewski, conhecido como “o esmoler do papa” ou aquele que distribui esmolas aos pobres.

Krajewski, de 57 anos, um dos cardeais mais jovens, também montou instalações médicas e de banho para os sem-teto perto do Vaticano sob a direção de Francisco desde a eleição do pontífice em 2013.

O verão de 2021 foi um dos mais quentes já registrados na Itália, com uma cidade na Sicília registrando 49 graus Celsius em agosto, considerada a temperatura mais alta já registrada na Europa.

(Por Philip Pullella)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).