Por Andreas Rinke e Christoph Steitz

BERLIM (Reuters) – O candidato conservador que pretende suceder a chanceler alemã Angela Merkel permaneceu sob pressão no domingo, antes de um debate eleitoral transmitido pela televisão que será uma de suas últimas chances de alcançar o rival social-democrata Olaf Scholz.

A última pesquisa do instituto INSA aponta os social-democratas (SPD) com 26% de apoio, estável desde uma semana atrás, enquanto o bloco conservador da União Democrática Cristã de centro-direita de Merkel e seu partido irmão da Bavária, a União Social Cristã, ganhou meio ponto percentual, chegando a 21%.

A diferença tem sido ainda maior nas pesquisas que medem a popularidade de cada candidato a chanceler, indicando a difícil batalha que o conservador Armin Laschet enfrenta contra Scholz antes das eleições gerais do próximo domingo.

Laschet está sob fogo desde que foi pego pelas câmeras rindo durante uma visita no verão a uma cidade afetada pelas enchentes.

Em uma entrevista ao jornal Bild am Sonntag, Scholz, que atua como ministro das finanças, prometeu manter as pensões e a idade de aposentadoria estáveis, acrescentando que essas seriam linhas instransponíveis em qualquer negociação de coalizão.

“Todos podem confiar no fato de que um governo liderado por mim fará exatamente isso”, disse Scholz.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).