Por Maria Caspani

(Reuters) – O Conselho de Educação da Flórida disse nesta sexta-feira a dois distritos escolares que terão parte do financiamento estadual retido se não cumprirem, em 48 horas, a determinação de deixarem que os pais escolham sobre o uso de máscaras pelos filhos.

Conselhos escolares nos condados de Broward e Alachua impuseram a obrigatoriedade de máscaras em escolas, desafiando uma ordem executiva emitida no mês passado pelo governador da Flórida, Ron DeSantis, que proíbe as autoridades locais de impor o uso obrigatório de máscaras.

Como alguns outros governadores republicanos, DeSantis considera o uso de máscara uma escolha pessoal que, para os alunos, deve ser feita pelos pais.

“Estas são as consequências iniciais da recusa intencional de seguir a lei e a regra do Estado ao violar propositalmente os direitos dos pais”, disse o comissário de Educação, Richard Corcoran, em um comunicado.

A determinação é o mais recente desenvolvimento no acirrado debate sobre o uso de máscaras em alguns Estados dos EUA, onde o coronavírus expôs ainda mais as profundas divisões políticas.

Em um tuíte, o presidente Joe Biden expressou solidariedade aos dois distritos escolares.

“Os recursos do Plano de Resgate Americano podem ser usados ​​para cumprir com os salários dos bravos dirigentes escolares da Flórida, superintendentes e outros educadores, mantendo nossas crianças seguras”, escreveu ele.

A Flórida está lutando contra o ressurgimento da Covid-19 estimulada pela variante Delta, altamente contagiosa, que está espalhando infecções principalmente entre os não vacinados.

(Por Maria Caspani; Reportagem adicional de Anurag Maan)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).