SANTIAGO (Reuters) – O Instituto de Saúde Pública do Chile aprovou o uso emergencial da vacina russa Sputnik-V contra a Covid-19, que se junta ao já abrangente programa de imunização do país, afirmou o instituto em comunicado.

Um dos especialistas do instituto votou contra a aprovação e dois se abstiveram, pedindo mais informações sobre a eficácia da fórmula desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. Cinco membros do comitê convocado pelo instituto votaram pela aprovação.

“Aprovamos o uso da vacina Sputnik-V no Chile”, afirmou o presidente do instituto, Heriberto García, em um comunicado. O comitê avaliou dados do Chile e também de México e Argentina, onde a vacina russa também é aplicada, disse.

García disse que não foram observados grandes efeitos colaterais da Sputnik-V. Até agora, o país aplicou pelo menos uma dose em 13 milhões de pessoas da sua população de 19 milhões de um arsenal que inclui vacinas da Pfizer, AstraZeneca e Sinovac.

(Por Fabian Cambero)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).