Por Joseph Ax

(Reuters) – Durante a maior parte do ano passado, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, talvez tenha sido o político mais respeitado do país, com seus boletins televisionados diários sobre o coronavírus, acompanhados por apresentações de PowerPoint, que fizeram dele uma fonte amplamente admirada de confiança em seu Estado e além.

Nesta terça-feira, porém, Cuomo renunciou na esteira de um relatório da procuradora-geral de Nova York, Letitia James, que revelou que ele assediou sexualmente 11 mulheres. O relatório criou uma avalanche de pressão política sobre o governador, e o presidente Joe Biden e outros pediram que ele deixasse o cargo.

Um pronunciamento televisionado concluiu uma derrocada chocante para um homem que passou de liderança política nacional a pária em questão de poucos meses.

O escândalo irrompeu em fevereiro, quando duas ex-assistentes o acusaram de assediá-las sexualmente. Várias mulheres se pronunciaram pouco depois com seus próprios relatos de má conduta sexual.

Nos comentários desta terça-feira, Cuomo, de 63 anos, voltou a negar todas as acusações de assédio sexual, mas disse que o relatório e uma investigação de parlamentares estaduais –que parecia passível de levar a um impeachment– criariam distração política e judicial demais para ele continuar governando.

“Acho que, dadas as circunstâncias, a melhor maneira de eu ajudar é me retirando e deixando o governo voltar ao governo — e portanto é o que farei”, disse.

Membros proeminentes de seu próprio Partido Democrata já haviam pedido que ele renunciasse, incluindo o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, o senador mais antigo de Nova York, e quase toda a bancada parlamentar do Estado.

Acreditava-se que Cuomo pleitearia um quarto mandato em 2022.

Sua estreia na política estadual foi ruim: ele perdeu a indicação para a disputa de governador em 2002, apesar de uma grande arrecadação.

Ele era visto por muitos como ideologicamente de centro. Em 2018, ele derrotou a atriz Cynthia Nixon, concorrente liberal conhecida pela série “Sex and the City”, mas guinou para a esquerda juntamente com o resto do partido nos últimos anos.

À medida que seu poder cresceu, Cuomo firmou a reputação de político ambicioso e implacável, disposto a retaliar supostos inimigos e cujo estilo ríspido em particular com frequência alienava outras pessoas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).