Por Walter Bianchi

BUENOS AIRES (Reuters) – O ministro do Interior da Argentina, Eduardo “Wado” de Pedro, apresentou sua renúncia nesta quarta-feira, a primeira baixa do alto escalão do governo após uma derrota eleitoral dolorosa para o partido governista nas primárias da eleição de meio de mandato de domingo.

De Pedro era uma das autoridades mais graduadas aliadas à ala kirchnerista mais radical do governo de centro-esquerda de Alberto Fernández, que enfrenta uma batalha para reconquistar eleitores moderados antes da eleição de meio de mandato de novembro.

Em uma carta ao presidente Fernández circulada pelo ministério, De Pedro disse estar apresentando a renúncia para ajudar o governo a seguir adiante rumo à votação e recuperar o apoio do eleitorado.

“Ouvindo suas palavras na noite de domingo, quando você mencionou a necessidade de interpretar o veredicto expressado pelo povo argentino, considero que a melhor maneira de ajudar esta tarefa é colocando minha renúncia à sua disposição”, escreveu.

A renúncia de De Pedro, um aliado crucial da poderosa vice-presidente Cristina Kirchner, ainda não foi aceita formalmente por Fernández.

A coligação governista Frente de Todos, cuja popularidade declina durante a pandemia, foi duramente derrotada no domingo nas primárias, que são vistas como um indicador confiável de como a eleição de meio de mandato correrá.

A mídia local noticiou que outras autoridades também podem renunciar, mas a Reuters não conseguiu confirmar essa informação de imediato.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).