A XP Inc., holding da corretora XP Investimentos, que fez sua estreia na bolsa americana Nasdaq nesta quarta-feira (dia 11), não planeja usar os recursos captados com a oferta de ações para comprar concorrentes, disse o presidente-executivo da companhia, Guilherme Benchimol, em entrevista em Nova York.

“Não temos planos de aquisição no radar”, disse Benchimol em teleconferência com jornalistas. Ele lembrou que há uma decisão vigente do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que impede que a XP compre outras corretoras de valores no Brasil. O executivo também descartou para breve planos da XP para entrar em mercados de outros países, enfatizando que o foco por ora é ampliar os negócios no Brasil.

Nesse sentido, a XP prioriza o lançamento de seu banco próprio, o que lhe dará flexibilidade para ofertar mais serviços aos atuais clientes da plataforma, disse ele. O objetivo é ampliar o volume de recursos de clientes que estejam sob o guarda-chuva da XP, atualmente estimado em cerca de 50% de cada um.

Uma das novidades deve ser a possibilidade de obter empréstimos com taxas de juros mais baixas colocando os recursos aplicados por meio da plataforma de investimentos da XP como garantia.

Benchimol disse ainda que avalia futuramente listar ações da XP também na bolsa brasileira B3, se eventualmente houver uma regulamentação sobre o chamado voto plural, que permite que alguns sócios tenham mais poder do que outros. Mesmo com cerca de 25% do capital da XP, Benchimol e outros sócios mantiveram o controle.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.