A Ambipar é uma das empresas que decidiram abrir capital na bolsa mesmo durante a crise causada pela pandemia do coronavírus. A empresa é pouco conhecida, pois atua no segmento B2B (business-to-business), com serviços de gestão de resíduos e de gerenciamento de incidentes ambientais. O início da listagem das ações da Ambipar deve ser no dia 13 de julho, segunda-feira.

Pode me contar mais sobre a Ambipar? Fundada em 1995, a empresa brasileira de gestão ambiental tem atuação no Brasil e em outros 14 países da América do Sul, Europa e África.

Sua atuação vai desde a destinação de resíduos sólidos até a higienização de ambientes contra agentes infecciosos, como o novo coronavírus. A contenção de impactos de incidentes ambientais também é especialidade da empresa — ela assessorou a Vale após o rompimento da barragem de Brumadinho (MG), por exemplo.

A Ambipar registrou um faturamento líquido de R$ 484 milhões em 2019, o que representa um avanço de 26% em relação a 2018. No primeiro trimestre de 2020, a receita da empresa foi de R$ 142 milhões, um avanço de 31% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No prospecto da oferta a empresa afirmou ter cerca de 10 mil clientes no mundo todo.

Como vai ser o IPO? Serão ofertadas ações primárias na bolsa de valores — ou seja, a maior parte do dinheiro arrecadado irá para o caixa da companhia. Um lote adicional de ações secundárias poderá ser ofertado, caso haja demanda, e o volume deverá ser de até 20% da oferta original. Caso haja esse lote extra, então os acionistas atuais (os membros da família Borlenghi, fundadora da Ambipar) devem receber parte dos recursos levantados no IPO.

Mas é importante dizer que uma parte relevante, em torno de R$ 150 milhões, irá para o pagamento de uma dívida com o Bradesco. O empréstimo foi liberado recentemente, já durante a pandemia, e foi usado para manter as operações da Ambipar de pé. O Bradesco também é coordenador do IPO da empresa.

O processo de abertura de capital poderá levantar até R$ 1,2 bilhão, dependendo do preço dos papéis. O intervalo de preço será de R$ 18,75 a R$ 24,75.

Até quando dá para fazer a reserva de ações? A precificação será na quinta-feira, dia 9, e a reserva de ações vai até amanhã, dia 8. Para fazer a reserva, é necessário que o investidor contate a corretora em que tem conta.

Vale a pena investir na Ambipar? O IPO da empresa de gestão ambiental tem sido um dos mais esperados da atual temporada. Isso porque a Ambipar é uma das maiores dentre as empresas que vão estrear na bolsa em breve, e é a única com exposição mundial. Ou seja: apesar de 75% das receitas da empresa virem do Brasil, ela não é totalmente dependente do mercado brasileiro.

Isso é uma grande vantagem diante do contexto atual, em que o cenário de recuperação global é bem mais claro que o brasileiro. Além disso, o fato de a maior parte dos recursos da oferta irem para o caixa da empresa é positivo, pois mostra que o IPO vai impulsionar o crescimento futuro da empresa — seja por investimentos em novos projetos ou pela aquisição de concorrentes.

O setor de atuação da empresa tem sido destacado pelos analistas. Em relatório, a casa de análise Eleven destacou que a pandemia do coronavírus deve ampliar a necessidade das empresas de criar protocolos para a prevenção de saúde dos funcionários e clientes, o que pode gerar um novo nicho de mercado. Por já ter experiência nesse segmento, a Ambipar estaria muito bem posicionada.

Isso sem falar nas questões ambientais não-relacionadas à pandemia. Os dois rompimentos de barragens da Vale, os incêndios na Amazônia e a crise hídrica em São Paulo são só alguns exemplos que mostram como a gestão ambiental deve ser encarada cada vez mais como uma prioridade pelas empresas.

E qual o lado ruim? Por outro lado, o relatório das casas de análise Suno e Nord alertam para o alto preço das ações da Ambipar. “Mesmo considerando que a Ambipar é um case de crescimento com rentabilidade, os múltiplos nos parecem demasiadamente elevados”, pontua a Suno, que calcula o preço das ações em relação ao lucro da empresa em 53 vezes, bem maior do que a média das empresas do Ibovespa.

Outro ponto de risco é o uso dos recursos do IPO para aquisições. Embora a Ambipar tenha crescido principalmente pela compra de concorrentes em outros países, essa é uma ferramenta que implica em uma série de adaptações. “É a forma mais arriscada de crescimento. Unir duas empresas com pessoas diferentes, culturas diferentes e gestões diferentes é complicadíssimo”, pontua a Nord, em relatório.

Por fim, a casa de análise aponta para o próprio risco operacional da Ambipar. “Seus funcionários estão constantemente expostos a potenciais ambientes e substâncias perigosas. A companhia é tímida em nos dar informações sobre os acidentes dos últimos anos — multas, contingências, problemas trabalhistas e seguros”, diz o relatório, que não recomenda a entrada no IPO da empresa ambiental.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).