SÃO PAULO (Reuters) – A Unidas divulgou nesta terça-feira resultados operacionais recordes para o segundo trimestre, puxados por alta na demanda por aluguel de carros, como também por forte aumento nos preços de veículos seminovos, em meio à crise de produção vivida pelas montadoras.

A companhia, que está em processo de fusão com a líder do setor Localiza, teve lucro líquido recorrente de 241,2 milhões de reais no segundo trimestre, ante 1,7 milhão apurado no mesmo período de 2020.

Já a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente consolidado também foi recorde, atingindo 557,2 milhões de reais. O número representa um crescimento de 167% sobre o segundo trimestre do ano passado.

Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 225,2 milhões de reais e Ebitda de 529 milhões, segundo dados da Refinitiv. Não ficou imediatamente claro se os números são comparáveis.

Segundo a companhia, a receita líquida com locação de veículos somou 738,8 milhões de reais de abril a junho, recorde histórico para a empresa, crescimento ano a ano de quase 54%. Enquanto isso, a frota média alugada cresceu cerca de 23%.

Além disso, a receita de gestão de frotas subiu 40%, a 435,5 milhões de reais. A divisão de seminovos teve alta de 53,4% no preço médio de venda, para 58,3 mil reais, com o volume somando 14,5 mil veículos.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).