ISTAMBUL (Reuters) – O banco central da Turquia cortou sua taxa de juros em 1 ponto percentual nesta quinta-feira, para 15%, citando pressão temporária de preços e afetando a lira, mesmo depois de a inflação ter saltado para quase 20% e a moeda ter despencado para mínimas recordes.

O banco, que avalia-se curvar aos pedidos do presidente Tayyip Erdogan por estímulo apesar dos riscos, ampliou o ciclo de afrouxamento que começou em setembro quando a taxa de juros de recompra de uma semana foi reduzida do nível de 19%.

A lira recuou contra o dólar após a decisão e tinha queda de 3%, a 10,98, igualando mínima recorde atingida mais cedo no dia.

A expectativa em pesquisa da Reuters realizada na semana passada era de corte de 1 ponto pelo banco central. O tamanho do corte de 2 pontos percentuais realizado no mês passado surpreendeu os mercados.

Analistas têm chamado o afrouxo monetário de prematuro e imprudente, já que deixa os rendimentos reais da Turquia em território profundamente negativo, e vai contra o movimento mundial, já que bancos centrais globais estão elevando os juros para conter as altas de preços.

A credibilidade do banco central tem sido afetada nos últimos anos dadas as frequentes críticas de Erdogan aos juros e sua rápida reformulação da liderança do banco devido a diferenças de opinião.

Erdogan prometeu na quarta-feira continuar a combater os juros “até o fim”, acelerando a liquidação da lira.

(Reportagem de Ali Kucukgocmen)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).