A Match Group, dona do Tinder e do OkCupid, dois dos mais populares aplicativos de relacionamento do mundo, está sendo processada pelo órgão federal de defesa do consumidor dos Estados Unidos por tentar atrair assinantes com e-mails de usuários falsos que simulavam interesse romântico.

A FTC (Comissão de Comércio Federal) dos EUA alegou que a Match Group, dona do Tinder e de outros sites de namoro, enviou anúncios automatizados com manifestações de interesse de contas que sabia que eram potencialmente falsas.

Como funcionava isso? Os e-mails em questão informavam aos usuários cadastrados no Tinder e em outros aplicativos que um perfil específico havia demonstrado interesse neles e forneciam um link para eles clicassem e pudessem ver detalhes. Se isso acontecesse, esse usuário era levado a uma página do app.

A FTC disse que algumas pessoas compraram assinaturas dos aplicativos para ver os detalhes dos usuários.

“Acreditamos que o Match.com enganou as pessoas a pagar assinaturas por meio de mensagens que a empresa sabia serem de golpistas”, disse Andrew Smith, diretor do Escritório de Proteção do Consumidor da FTC.

O órgão federal também disse que os consumidores que consideram fazer uma assinatura do Match.com geralmente desconhecem que de 25% a 30% dos usuários se registram para perpetuar esquemas de phishing e golpes de extorsão. A agência alegou que empresa também dificulta o cancelamento de assinaturas.

O que disse a dona do Tinder? O Match Group e sua controladora, a InterActiveCorp, não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).