A Telefônica, dona da operação da Vivo no Brasil, teve uma retração de 14,1% no lucro líquido no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019. Segundo a empresa, a queda é explicada pelo aumento nas despesas com impostos e depreciação. Houve ainda queda na receita e assinaturas de TV, mostrou o balanço de resultados divulgado nesta quarta-feira (6).

Veja os destaques:

  • Aumento de 6,6% na base de clientes pós-pago. Agora, eles representam 58,5% do total de acessos móveis.
  • A receita líquida operacional caiu 1,4%. Especificamente a receita com produtos fixos, como como internet e telefone, caiu 3,6%.
  • A receita com venda de aparelhos caiu 2,9%. Segundo a Telefônica, o resultado foi influenciado pelo fechamento de lojas em meio aos esforços para conter o coronavírus.
  • Os ganhos com TV por Assinatura caíram 15,7% na comparação com o primeiro trimestre de 2019.
  • O Ebita, que é o lucro antes de impostos, juros e amortizações, teve alta de 1,6% na comparação anual.A receita de produtos de fibra  – internet e tv, teve aumento de 38,9% na comparação anual e já representa 24% de toda a receita com produto fixos.

Como a empresa está lidando com o coronavírus? A empresa está oferecendo aos clientes a possibilidade de negociar suas dívidas com a Vivo com pagamentos em 10 parcelas, livres de juros e multa.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).