O Spravato, produzido pela Johnson & Johnson, é o primeiro antidepressivo para tratar pessoas sob ameaça ativa de suicídio aprovado pela FDA (sigla em inglês para Administração para Comida e Remédios, a agência reguladora do setor nos EUA). Médicos no país vêm expressando sua preocupação em relação ao efeito da covid-19 na saúde mental dos americanos.

A aprovação da FDA significa que o spray nasal de ação rápida logo estará disponível para pessoas com ideação suicida, garante Michelle Kramer, vice-presidente da unidade de assuntos médicos e neurociência da J&J nos EUA. Potencialmente, trata-se de 11% a 12% dos cerca de 17 milhões de americanos que têm um distúrbio depressivo grave.

O Spravato vem sendo usado por cerca de 6 mil pessoas que são resistentes ao tratamento farmacológico de transtornos depressivos desde que recebeu a liberação para testes em março de 2019. A decisão da J&J de estudar seu uso em pacientes que estão sob influência ativa de ideação suicida, o que foi visto como surpreendente, já que a grande maioria das farmacêuticas excluem esse grupo em seus testes de medicamentos.

A capacidade do Spravato de agir rapidamente foi uma parte importante na decisão de usá-lo nesses estudos, já que a maioria dos antidepressivos utilizados em situações em que o suicídio é um risco ativo pode levar semanas para agir. Nas pesquisas, a empresa descobriu que aqueles que receberam o medicamento tiveram uma rápida redução na ideação suicida se comparados aos pacientes que receberam um placebo.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).