O Santander Brasil praticamente dobrou seu lucro trimestral em relação ao ano anterior, com menores provisões para perdas com crédito e maiores receitas de tarifas.

O lucro líquido recorrente do segundo trimestre ficou em 4,171 bilhões de reais, acima da estimativa dos analistas compilada pela Refinitiv, de 3,979 bilhões de reais.

O salto no lucro veio em meio à estratégia do presidente-executivo, Sergio Rial, de conquistar novos clientes numa competição mais acirrada com fintechs. O Santander anunciou na terça-feira que Rial se tornará presidente do conselho do banco em janeiro e Mario Leão, atual vice-presidente do banco de atacado, o novo presidente-executivo.

O Santander reservou 3,325 bilhões de reais em provisões para créditos de liquidação duvidosa, uma queda de 0,3% em relação ao ano anterior. Esse montante não leva em consideração uma provisão extraordinária de 3,2 bilhões de reais que o banco reservou um ano antes para potenciais empréstimos inadimplentes decorrentes da pandemia.O índice de inadimplência em 90 dias do banco subiu 0,1 ponto percentual no trimestre, para 2,2%.

A carteira de crédito cresceu 3,5% em relação a março, impulsionada principalmente por consumidores e pequenas empresas. Mesmo assim, a margem financeira permaneceu estável em relação ao primeiro trimestre, devido aos ganhos com tesouraria mais baixos.

O retorno sobre o patrimônio líquido do Santander Brasil foi de 21,6%, um ponto percentual acima do trimestre anterior.

O banco decidiu publicar seus resultados excluindo os ganhos da unidade de adquirência de cartões GetNet, que está prestes a ser cindida e listada.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).