Marcas de franquias estão oferecendo incentivos como parcelamento parcial ou total do investimento inicial e até isenção da taxa de franquia para atrair empreendedores. É o caso de grandes redes, como CNA e China in Box, e outras menos conhecidas, como CredFácil e É Seguro.

Segundo André Friedheim, presidente da ABF (Associação Brasileira de Franchising), a prática é comum em momentos de crise como o atual, quando os candidatos estão mais retraídos por conta de questões macroeconômicas, e também quando as redes querem acelerar seu crescimento em determinada região.

Para quem procura uma fonte de renda ou quer diversificar investimentos, pode ser uma boa oportunidade de negócio. Para as franquias, é uma estratégia de expansão.

“Em geral, é uma abordagem temporária, e as condições variam muito de rede para rede. Uma condição especial pode reter um candidato com perfil promissor e contribuir para ocupar determinada área ou ponto comercial antes da concorrência”, diz ele.

Conheça as condições de algumas marcas

A escola de idiomas CNA está isentando a taxa de franquia, mas a vantagem só é válida para a conversão de escolas “bandeira branca” (que já funcionam, mas não têm marca famosa). A taxa de franquia do CNA varia de R$ 10 mil a R$ 60 mil, dependendo do tamanho da escola.

Nos restaurantes China in Box e Gendai, a taxa de franquia de R$ 60 mil pode ser parcelada de 3 a 6 vezes. Na Casa de Bolos, é possível parcelar a taxa de franquia de R$ 61 mil e os equipamentos (R$ 70 mil), pagando uma entrada de cerca de 30% e dividindo o resto no boleto.

A Dr. Shape, loja de suplementos alimentares e artigos esportivos, permite pagar a taxa de franquia de R$ 59,9 mil em até 7 vezes ou dá 15% de desconto à vista, além de carência de royalties nos três primeiros meses da operação.

Em algumas redes, é possível parcelar o valor total do investimento inicial, o que tem atraído empreendedores na pandemia. Na Maria Brasileira, que faz limpeza residencial e comercial, o investimento total varia de R$ 31 mil a R$ 69 mil e pode ser dividido em até quatro vezes. De março a julho, a empresa vendeu 51 franquias com essas condições.

A CredFácil disponibiliza o modelo home office em 12 parcelas de R$ 1.490,00. Desde março, a marca comercializou mais de 150 unidades. A É Seguro divide em 12 parcelas os investimentos iniciais dos formatos home office (R$ 15,9 mil) e loja (R$ 29,9 mil). De março para cá, foram 39 unidades vendidas.

Cuidado com ofertas

De acordo com a consultora e especialista em franchising Ana Vecchi, vale o ditado “quando a esmola é demais, o santo desconfia”.

“Cabe ao interessado na compra da franquia analisar o que ele pode perder com esse desconto ou parcelamento. A taxa de franquia remunera a empresa franqueadora por todo o suporte que ela oferece até a inauguração, treinamentos, orientação na escolha do ponto em caso de loja física”, alerta a consultora.

Além de perguntar abertamente o motivo da oferta, ela indica que o candidato converse com outros empreendedores que já possuem a franquia, para saber como é o negócio na prática e o que a empresa franqueadora oferece.

“Além de investigar o histórico da marca e as demonstrações financeiras, é importante conhecer a estratégia atual e de futuro, considerando as transformações de mercado trazidas pela pandemia”, indica.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).