BUENOS AIRES (Reuters) – O Produto Interno Bruto da Argentina crescerá 4% em 2022, com inflação anual de 33%, de acordo com projeto de orçamento que chegou ao Congresso na quarta-feira minutos antes da meia-noite.

O projeto orçamentário, que deve ser aprovado pelo Congresso, foi apresentado no mesmo dia em que o governo enfrentou uma crise, com pedido de demissão de vários ministros que pertencem à “ala dura” do partido no poder, após derrota eleitoral do peronismo nas eleições legislativas de domingo.

O presidente de centro-esquerda, Alberto Fernández, fez uma

reunião de emergência na tarde de quarta-feira com os ministros leais, que expressaram publicamente seu apoio, mas não disse até agora se aceitará os pedidos de demissão.

Após a crise que a economia local sofreu em 2020, agravada pela pandemia do coronavírus, o governo espera que o PIB cresça 8% em 2021, com uma inflação que pode ultrapassar os 40%, segundo estimativas de analistas.

Especialistas preveem mudanças nos rumos da política econômica do governo, que hoje enfrenta inflação alta, pobreza de 42% e negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para renegociar uma dívida de 44 bilhões de dólares.

(Reportagem de Jorge Iorio)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).