SÃO PAULO (Reuters) – O presidente da Telefônica Brasil afirmou nesta quinta-feira que, apesar de o leilão 5G marcado para a próxima semana não ter um viés arrecadatório, as obrigações de investimento definidas no edital não podem ser assumidas por qualquer investidor.

Representantes da Anatel afirmaram na véspera que o Tesouro poderá arrecadar 3 bilhões de reais com o leilão 5G enquanto as obrigações de investimentos previstas em todas as faixas de frequência que serão disponibilizadas na disputa de 4 de novembro beiram os 50 bilhões de reais.

“Nós investimos em média 8 bilhões de reais por ano no Brasil…ser um grupo relevante requer muito investimento”, afirmou o presidente-executivo da Telefônica Brasil, Christian Gebara, em entrevista a jornalistas nesta quinta-feira.

“É um mercado que ainda tem um vazio de infraestrutura, requer muito investimento. Não acho que seja para qualquer um”, afirmou o executivo em resposta à pergunta sobre os 10 novos entrantes que manifestaram interesse em participar do leilão.

“As obrigações (do leilão) são muitas, de longo prazo, e acho também que não é para qualquer investidor assumir este tipo de obrigação. Todo mundo terá que fazer as contas para entender que tipo de rentabilidade um leilão como este pode oferecer”, afirmou Gebara.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).