Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) – Os contratos futuros do aço negociados em Xangai recuaram pela segunda sessão consecutiva nesta quarta-feira, à medida que preocupações com a desaceleração da demanda por materiais de construção e manufatura na China ofuscaram movimentos do país para reduzir sua produção siderúrgica.

O vergalhão de aço para construção negociado na bolsa de futuros de Xangai fechou em queda de 0,3%, a 5.658 iuanes (869,82 dólares) por tonelada, enquanto a bobina laminada a quente caiu 1,6%, para 5.879 iuanes por tonelada.

O aço inoxidável cedeu 1,8%, a 19.120 iuanes por tonelada.

Yanting Zhou, economista sênior da Wood Mackenzie, disse que a desaceleração do crescimento da produção industrial da China e o fraco investimento em manufatura e infraestrutura devem ter um impacto negativo na demanda doméstica por metais.

“A demanda por aço provavelmente sofrerá um impacto maior em comparação com outros metais”, afirmou Zhou, citando especialmente a desaceleração “significativa” nos investimentos em infraestruturas de transporte.

Na bolsa de commodities de Dalian, o minério de ferro –principal matéria-prima siderúrgica– avançou 0,2%, a 1.137,50 iuanes por tonelada, após ter operado em intervalos limitados durante a sessão.

(Reportagem de Enrico Dela Cruz, em Manila)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).