Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) – O núcleo de um índice de preços do Japão subiu em setembro pela primeira vez desde os estágios iniciais da pandemia do coronavírus, em março de 2020, sinal de que os custos crescentes de energia e matérias-primas estão gradualmente aumentando a inflação.

Analistas esperam que o aumento das despesas com combustível acelere a inflação ao consumidor nos próximos meses, embora qualquer elevação deva ser modesta em comparação com outras economias avançadas, já que o crescimento lento dos salários pesa sobre o consumo e impede empresas de aumentar muito os preços.

O índice de preços ao consumidor que exclui os voláteis preços dos alimentos frescos, mas inclui os custos dos combustíveis –o chamado núcleo do índice de preços– subiu 0,1% em setembro em relação a um ano antes, segundo dados do governo divulgados nesta sexta-feira, correspondendo a uma previsão mediana do mercado. O número havia ficado estável em agosto.

O ganho foi impulsionado principalmente por um salto de 7,4% nos custos de energia, maior aumento anual em quase três anos. Os custos da gasolina dispararam 16,5% em setembro em relação ao mesmo período do ano anterior.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).