A Linx, empresa de soluções para o varejo, está no centro de uma disputa entre a Stone e a Totvs. As duas empresas fizeram propostas bilionárias para ficar com o controle da Linx. A pergunta que fica é: por que todos querem a Linx? Por que essa compra é tão importante no momento de pandemia?

“A Linx é um ativo estratégico muito valioso por que ela tem hoje a maior base instalada de sistemas de frente de lojas do varejo brasileiro”, disse Alberto Serrentino, fundador da Varese Retail e vice-presidente da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo).

Quem é a noiva? Para saber por que essa disputa entre Stone e Totvs é importante é bom conhecer a Linx. A empresa domina com passos largos o mercado de softwares de gestão para o varejo. Exemplos: ela fornece programas que ajudam o comércio a controlar estoque, emitir nota fiscal e fechar o caixa, por exemplo. Ninguém vê o nome da Linx na frente da loja, mas ela está nos bastidores ajudando na gestão dos negócios.

Mais importante ainda: a Linx é vice-líder do segmento de comércio online, que cresceu exponencialmente na pandemia. Resumidamente, quem ficar com a Linx ganhará não só a dianteira do mercado de soluções para o varejo como instrumentos para atuar no e-commerce.

Quem são os interessados? Os interessados são a Stone, conhecida pelas maquininhas de cartão, e a Totvs, empresa de softwares de gestão. Nos últimos dias surgiram rumores de que a Rede também estaria interessada, mas a empresa negou a intenção.

“Uma eventual fusão entre a Linx com a Stone ou outra empresa de adquirência facilita a implantação de sistemas de pagamentos digitais”, afirma Marcos Gouvêa, CEO da Gouvêa Ecosytem. “É um negócio importante para quem quer ter protagonismo em tudo que tenha a ver com varejo, com pagamentos e com tecnologia para o varejo.”

Já o interesse da Totvs, segundo ele, é quase uma ação defensiva. “Se a Linx for para a Stone, se tornará um concorrente forte demais para a Totvs. O movimento da Totvs é quase defensivo para não permitir que o seu concorrente direto (Linx) ganhe essa vantagem competitiva tão grande”, diz.

Para Luis Sales, analista da Guide Investimentos, essa é uma briga por participação de mercado. “Se uma empresa leva, o outro competidor fica para trás. Esse é o grande motivo da briga.”

Quais são as propostas? Veja o que cada interessado propôs para ficar com a Linx:

Stone

Totvs

  • Valor da proposta: R$ 6,103 bilhões
  • Pagamento: 1 ação da Totvs e mais R$ 6,20 por papel da Linx
  • Diferencial: sem oferta especial aos fundadores.

Por que o momento é oportuno para negócios desse tipo? O varejo, como toda a economia, foi afetado pela crise do coronavírus. Para quem compra, há a oportunidade de fechar negócio por um preço melhor, segundo Sales, da Guide. E a fusão pode reduzir a exposição das empresas às oscilações do varejo.

Por que esse negócio é tão importante? Os motivos são vários, desde sinergia de negócios até a ampliação da área de atuação. Veja abaixo:

Liderança na gestão para o varejo

Como a Linx já lidera esse segmento, a empresa que comprá-la vai dominar um mercado que movimenta mais de R$ 10 bilhões por ano. “A Linz fez uma série de aquisições nos últimos anos, o que a torna uma consolidadora de sistemas para o varejo. Isso tudo faz dela uma noiva muito interessante para se desposar”, diz Eugenio Foganholo, consultor de varejo.

Segundo Gouvêa, o varejo será um dos protagonistas da recuperação econômica e ter essa liderança de mercado será muito importante. “A retomada vai se dar pelo consumo e varejo. Fazer parte dessa atividade amplia o valor da empresa.”

Ampliação do leque de atuação

Para Foganholo, uma fusão entre Linx e Stone é muito mais disruptiva do que com a Totvs, já que as duas atuam nas mesmas áreas. “Esse tipo de integração traz uma potencialidade de negócios muito maior: quem é cliente da Linx pode ser um potencial cliente da Stone e vice-versa. As duas juntas podem criar um marketplace, por exemplo.”

Sinergia de negócios

Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos, diz que tanto Stone quanto Totvs têm sinergias com a Linx. “As duas empresas possuem sinergia e buscam ampliar suas participações nesse segmento. Conta o fato de que o CEO da Totvs já foi da Linx, o que facilita a análise dessas sinergias”, disse ele se referindo a Dennis Herszkowicz, ex-vice-presidente da Linx.

Revolução de pagamentos

A pandemia acelerou a adoção de pagamentos digitais pelo varejo, como adoção de links de cobrança enviados por WhatsApp. Em meio a tudo isso, o país se prepara para a chegada do PIX. Um negócio desse porte fortalece empresas que atendem o varejo.

“Estamos assistindo a um processo de mudanças profundas em tecnologia, meios de pagamentos, carteiras digitais, plataformas de ecossistemas. Com o PIX e o crescimento das carteiras digitais, vai haver uma mudança muito grade nas estruturas de meios de pagamento”, afirma Serrentino.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.