RIO DE JANEIRO (Reuters) – A Petrobras entende que a fase vinculante para a venda das refinarias Refap e Repar provavelmente ocorrerá depois das eleições de 2022, afirmou nesta terça-feira o diretor-executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores, Rodrigo Araujo, em encontro com investidores na Bolsa de Nova York.

Ambas as unidades foram colocadas à venda, mas tiveram seus processos encerrados, depois que a petroleira não encontrou bons termos para fechar negócio.

Agora, a Petrobras deverá definir questões com o órgão antitruste Cade, incluindo um cronograma, para o relançamento do processo de desinvestimento.

“Não acertamos nenhum prazo com o Cade ainda, mas achamos que no próximo ano vamos lançar esses processos, provavelmente não haverá o início da fase vinculante antes das eleições. Mas vamos lançar novamente os processos Refap e Repar”, afirmou Araujo, no encontro transmitido pela internet.

O diretor disse ainda que a empresa está muito perto de realizar a conclusão da venda da refinaria Rlam e que poderá concluir a venda da Reman e da SIX neste ano.

O encontro em Nova York ocorreu para uma apresentação presencial do Plano Estratégico da Petrobras 2022-2026.

(Por Marta Nogueira e Gram Slattery)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).