Muitos funcionários que estavam em home office já começaram a voltar aos escritórios. Mas esse retorno vem acontecendo em formato híbrido, ou seja, alguns dias de trabalho presencial intercalados com outros de remoto. De olho nessa mudança de comportamento, a Estapar acaba de criar a mensalidade flexível para usuários de suas redes de estacionamento.

Nesse modelo, o valor da mensalidade varia de acordo com o pacote de dias comprado pelo cliente (veja simulações mais abaixo). “Percebemos que houve um aumento gradual de retorno aos edifícios comerciais a partir de julho. Mas as pessoas não estão indo mais todos os dias, como era antes da pandemia. Por isso, lançamos a tarifa flexível que dá quatro alternativas de preços”, afirma André Iasi, CEO da Estapar.

Essa novidade já está em todos os estacionamentos administrados pela Estapar? Ainda não. Mas Iasi diz que a maioria deve oferecer essa solução até o final do ano. “A expectativa é que essa tarifa esteja disponível em até 80% dos estacionamentos. Alguns podem ficar de fora por restrições do proprietário do prédio.”

Qual plano compensa mais? Tudo depende da quantidade de dias utilizados. Se ele vai mais de 15 dias por mês ao escritório, é melhor ficar com o plano mensal mesmo. A tabela abaixo mostra que o custo diário dos planos aumenta conforme o de dias contratados diminui. Por outro lado, não faz sentido pagar o mês todo se a pessoa só trabalha presencialmente uma vez por semana.

PlanoValor mensalCusto diário
MensalistaR$ 220R$ 7,33
15 diasR$ 155R$ 10,33
12 diasR$ 140R$ 11,67
8 diasR$ 125R$ 15,63
4 diasR$ 100R$ 25,00
Rotativo 12 horas- R$ 31,00

Que outras mudanças os estacionamentos estão fazendo? Iasi disse que a Estapar precisou se adaptar às mudanças trazidas pela pandemia ao comportamento do consumidor. “A gente percebeu que o usuário começou a querer ter autoatendimento: ele mesmo estaciona o veículo e paga, sem necessidade de manobrista ou de passar pelo caixa. Por isso, ampliamos a aceitação de tags [como Veloe e Sem Parar] e o usuário também pode pagar no nosso aplicativo.”

Outro exemplo de mudança no padrão de consumo foi o aumento de 82% no serviço de reserva antecipada de vaga. “Se a pessoa sabe que vai para Congonhas, por exemplo, ela já pode reservar antecipadamente sua vaga e saber quanto pagará pelo período que usou. Ela pode acessar o estacionamento por um QR Code que é gerado no app ou, dependendo do estacionamento, há a leitura de placa do veículo que libera a cancela”, afirma Iasi.

Como a pandemia afetou a Estapar? O CEO da companhia diz que os efeitos começaram da primeira onda começaram a ser sentidos a partir de junho, julho de 2020. “O mensalista não parou de pagar no primeiro mês. Muita gente paga antecipadamente, antes de usar. A queda começou a partir de junho e chegamos a ter uma diminuição de 50% nos segundo e terceiro trimestres do ano passado. A partir dali, começou a haver um retorno gradual que vem aumentando mês a mês. Já recuperamos 70% do patamar pré-crise.”

Como os estacionamentos foram utilizados no período de baixa? Segundo Iasi, a Estapar deu vários aproveitamentos para as áreas dos estacionamentos. Uma delas foi uma parceria com o Zé Delivery, que usa estacionamentos da Estapar como centros de distribuição para última milha da logística de entregas.

“Nossos estacionamentos estão muito bem localizados. Já faz um tempo, criamos no Santos Dumont uma área para embarque e desembarque de passageiros de aplicativos. As três principais empresas de aluguel de carro são nossas clientes, consomem nossas vagas. E já temos operação de dark store para o Zé Delivery”, diz o CEO.

E qual a expectativa com o avanço da vacinação e dos eventos? São as melhores possíveis. Iasi diz que o retorno já vem acontecendo e deve ser acelerado pela volta dos eventos. “Enquanto não houver transporte coletivo de qualidade e suficiente, o estacionamento será uma necessidade. Enquanto houver esse gargalo, as pessoas vão usar seus carros para trabalho, entretenimento, lazer, compras. E precisarão de um local para parar seus veículos.”

André Iasi, CEO da Estapar/Crédito: Divulgação

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).