Na disputa com o BTG pelos agentes autônomos, a XP revelou hoje, pela primeira vez, o impacto da saída desses parceiros para seus negócios. Segundo a corretora, 18 escritórios de agentes autônomos deixaram a sua plataforma nos últimos dois anos.

“Três meses após a saída da XP, apenas 11% dos investimentos dos clientes foram transferidos diretamente dos escritórios para a nova instituição. Já em relação aos períodos de seis e doze meses, os valores transferidos foram de 13% e 7%, respectivamente e de forma cumulativa”, informa.

Qual o contexto disso? O anúncio da XP acontece uma semana depois da saída do EQI Investimentos de sua plataforma. Considerado um dos maiores escritórios de agentes autônomos do país, o EQI migrou para o BTG. Com isso, segundo o Monitor do Mercado, cinco escritórios deixaram a XP em uma semana. Estão nessa lista o Prosperidade, Wert, AGL e Potenza.

O que esses escritórios representavam? Os 18 escritórios que saíram em 2 anos representavam 3,6% da base atual, gerindo R$ 9,9 bilhões no momento da saída. “Na nossa visão, a decisão dos clientes de continuar na XP Investimentos reflete o contínuo foco em promover a melhor experiência, com honestidade e transparência, sem atalhos no caminho”, afirma a corretora.

O que diz a XP? Que vem crescendo: credenciou 19 novos escritórios nos últimos 24 meses, “representando um crescimento médio mensal de seis escritórios, com 5.408 novos agentes autônomos (em média, 225 novos profissionais por mês)”. “No mesmo período, nossos ativos sob cresceram 160%, passando de R$ 158 bilhões em junho de 2018 para R$ 412 bilhões, em maio de 2020.”

“O número de novos entrantes na profissão mais do que triplicou nos últimos 5 anos. Os agentes autônomos estão, ao lado da XP Investimentos, democratizando o acesso a investimentos de qualidade para milhões de brasileiro”, afirma.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).