A Amaro, que surgiu em 2012 como e-commerce de moda feminina, está ampliando cada vez mais sua presença no varejo físico. O primeiro passo aconteceu em 2015, quando a empresa introduziu o conceito de guide shop: um local onde as clientes podem experimentar as roupas, mas fecham a compra online e recebem os produtos depois em casa.

Agora, em 2021, a companhia decidiu reformular sua atuação na venda presencial. Os guide shops serão, aos poucos, substituídas por megastores. O plano é ter sete novas lojas de 1.000 a 1.500 m² até o final do ano.

Em entrevista ao 6 Minutos, o CEO Dominique Oliver explica os motivos da guinada da Amaro para a expansão no varejo presencial. “Em um país em que a penetração do e-commerce é de 11%, ou seja, de cada 100 transações, 89% ocorrem no mundo físico, a Amaro precisa ocupar todos os canais de venda e servir onde a cliente estiver.”

Em que contexto acontece essa mudança de posicionamento? No começo do ano, a Amaro anunciou que estava entrando no segmento de lifestyle por meio da venda de produtos de casa, papelaria, beleza, saúde e bem-estar.

“Uma vez que incluímos 300 parceiros em nossos canais de venda, toda a experiência do guide shop ficou fora de contexto. Queremos que as clientes possam encontrar nas lojas todas as categorias de produtos que estão à venda nos canais digitais”, afirma Oliver.

Segundo ele, várias marcas que estarão à venda são menores e menos conhecidas. “Algumas marcas exigem uma explicação a mais ao cliente. No caso dos produtos de beleza, haverá a oportunidade de testá-los, oportunidade que não se tem em uma farmácia.”

Vai ser possível fechar a compra na loja e sair de lá com o produto? Nas megastores, o cliente terá a opção de fechar o pedido presencialmente e sair de lá com a compra. Se preferir, também será possível receber o produto em casa depois.

O prazo de entrega em casa foi reduzido? A partir de novembro, a Amaro vai entregar no mesmo dia pedidos feitos até as 17h em Brasília, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Recife e Salvador. Em São Paulo, as entregas serão feitas em até três horas.

Qual o diferencial das novas lojas? Além de maiores, elas são locais de experimentação e divulgação de todos os produtos que são vendidos hoje pela Amaro. “O objetivo é que seja um local de encontro e destino, que permita que a cliente resolva todas suas compras em um lugar só”, diz o CEO. “As lojas têm um elemento de design para ter um mood diferente. Há muito lugar para se sentar, para passar o tempo, tudo muito fotogênico, instagramável.”

Por que ampliar a presença física? Oliver diz que o futuro do varejo está na omnicanalidade (integração do físico com o digital). “Esse é o maior movimento de um varejista digital entrando no mundo físico. Vai ser a jornada mais completa de omnicanalidade. A consumidora coloca a peça no carrinho e quando entra na loja, a vendedora traz as peças para ela provar. O cliente também gosta de comprar online e trocar na loja e do click & collect (clica e retira).”

Qual a expectativa de retorno dessa estratégia? É de vender mais. “Hoje, um em cada quatro pedidos é originado em um guide shop. Esse número deve passar para um a cada três pedidos, um crescimento significativo”, diz Oliver sobre a importância do presencial.

Dominique Oliver, CEO da Amaro

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).