O que aconteceu: A locadora de veículos Movida divulgou nesta sexta-feira (26) os números da oferta subsequente de ações (follow on) lançada no início de julho.

No comunicado, foi revelado o preço de R$ 15 por papel e o tamanho dos lotes negociados: 35,5 milhões de ações referentes à oferta primária e 20 milhões na secundária, dos quais 7 milhões atenderam o excesso de demanda.

A oferta levantou R$ 832,5 milhões, dos quais R$ 532,5 milhões referentes à oferta primária e R$ 300 milhões à secundária.

Fachada de uma loja da locadora Movida: dinheiro em caixa para bancar novos investimentos
Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

Como a empresa usará o dinheiro? Segundo o comunicado divulgado pela Movida, os “recursos serão destinados para a compra de novos carros, para melhorar a estrutura de capital e dar suporte para investimentos em inovação e tecnologia”.

Como fica a posição da controladora após a oferta? A JSL, um dos maiores grupos de logística do Brasil, é a principal acionista da Movida. O grupo vendeu 20 milhões de suas ações, o equivalente ao total da oferta secundária feita nesse follow-on. A JSL passou a deter 55,1% do capital social da empresa.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).