Em 2012, o Banco Central lançou série de moedas comemorativas voltadas aos Jogos Olímpicos que seriam realizados quatro anos depois, no Rio de Janeiro. Além das moedas de circulação comum, de R$ 1, que foram febre durante a competição, o BC produziu edições em prata e de ouro, com valores de face de R$ 5 e R$ 10, respectivamente.

Comitê Rio-2016, o Banco Central e os Correios lançaram conjuntos de moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016
Crédito: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

São essas edições especiais, que não foram distribuídas pela rede bancária comum, as mais valorizadas três anos após o encerramento da competição. O conjunto de 17 moedas de prata, vendido originalmente pelo BC a R$ 3.315 (R$ 195 por unidade), chega agora a custar até R$ 15.000 reais no Mercado Livre, uma valorização de 352% no período.

É quase pelo mesmo valor que são vendidos os mais raros conjuntos com as 4 moedas de ouro, que também oscilam entre R$ 9 mil e R$ 9.600 na plataforma de intermediação de vendas. Como o preço original de comercialização pelo BC era de R$ 4.720 (R$ 1.180 cada), a elevação chega a até 103%.

As duas coleções foram criadas já pensando em colecionadores, ficando restritas a públicos relativamente pequenos e sem fins comerciais. As moedas de ouro tiveram uma tiragem de apenas 5 mil exemplares, enquanto as de prata foram produzidas em uma escala de 25 mil unidades.

Circulação comum

Se as tiragens especiais em materiais nobres se valorizaram, o mesmo não pode se dizer das unidades comuns, compostas de aço inox e revestidas em bronze. Também vendidas pelo BC a interessados, as unidades custavam R$ 13 e poderiam ser adquiridas em conjuntos com 4, por R$ 45. Para adquirir o conjunto de 17, portanto, era necessário o investimento de cerca de R$ 200.

Além da compra direta, era possível coletar as moedas entre as que foram colocadas em circulação pela rede bancária. Com o manuseio constante, no entanto, essas coleções não encontram espaço na disputa.

Ainda mais porque os conjuntos originais do BC, vendidos em cápsulas próprias para armazenamento, chegam a ser comercializadas a partir de R$ 60, menos de um terço do valor original.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).