A Plug Power está criando uma parceria com a Airbus e a Phillips 66 para encontrar maneiras de aproveitar o hidrogênio para abastecer aviões, veículos e indústrias sem emitir gases de efeito estufa que aquecem o planeta.

A parceria com a Airbus estudará como levar o chamado hidrogênio verde para aeronaves e aeroportos. A maior fabricante de aviões do mundo irá fornecer informações sobre aeronaves a hidrogênio e a Plug Power vai projetar infraestrutura de hidrogênio não poluente em aeroportos, disseram as empresas em comunicado. A Airbus tem como meta trazer aeronaves com emissão zero para o mercado até 2035.

A Phillips 66 também está se unindo à Plug Power para desenvolver hidrogênio com baixo teor de carbono e implantar essa tecnologia nas operações da refinadora de petróleo dos Estados Unidos. Os objetivos incluem escalar hidrogênio de baixo carbono no setor industrial e aumentar o abastecimento de hidrogênio para transporte, disseram as empresas em comunicado separado.

O hidrogênio verde é produzido com fontes de energia renováveis, como solar ou eólica, e pode ser usado para abastecer veículos, navios ou indústrias que tradicionalmente queimam combustíveis que emitem gases de efeito estufa. É visto como uma fonte potencial de energia que pode ajudar os EUA e outras nações a alcançar suas metas de redução de carbono e evitar os piores efeitos do aquecimento global.

A Plug Power criou o primeiro mercado comercialmente viável para a tecnologia de célula de combustível de hidrogênio e se tornou a maior compradora mundial de hidrogênio líquido, de acordo com Latham, empresa sediada em Nova York. A empresa também disse que irá investir na startup de aviação elétrica Airflow e co-desenvolver um sistema de propulsão de aeronaves movido por células a combustível de hidrogênio.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).