A Microsoft exibirá nesta quinta-feira (24) a primeira grande reforma de seu sistema operacional Windows desde 2015.

O software que transformou a Microsoft em um nome familiar e dominou os computadores pessoais por anos foi ultrapassado em popularidade por dispositivos que usam software da Apple e do Google, mas ainda é essencial para a força da Microsoft no mercado corporativo.

O sistema operacional atualizado pode agradar os consumidores, que ajudaram a impulsionar as vendas de computadores de forma acentuada no ano passado devido ao home office adotadas durante a pandemia COVID-19.

Os analistas esperam que o sucessor do Windows 10 seja chamado de Windows 11 e contenha atualizações para usuários corporativos que podem torná-lo mais fácil de usar com configurações de monitor duplo. Ele também pode conter atualizações para jogadores gamers, outra importante base de clientes da Microsoft, incluindo um aplicativo do Xbox.

Windows Store

A Microsoft também pode dar mais detalhes no evento de lançamento online na quinta-feira sobre seus planos para uma Windows Store renovada.

A empresa reduziu recentemente as comissões sobre os jogos vendidos na loja para 12%, abaixo dos 15% que recebe em aplicativos regulares, e tem sido uma crítica vocal da App Store da Apple, que cobra comissões de 30% e exige desenvolvedores para usar os sistemas de pagamentos in-app da Apple.

Ascensão da Microsoft

O Windows impulsionou a ascensão da Microsoft na década de 1990, quando os computadores se tornaram uma referência entre empresas e consumidores. Mas o sistema operacional ficou em segundo plano em relação ao iOS da Apple e ao Google da Alphabet, pois os telefones celulares substituíram os computadores como o principal dispositivo para bilhões de usuários.

O Windows continua sendo uma das maiores plataformas do mundo da tecnologia, com o segmento de computação pessoal da Microsoft, que inclui a receita do Windows de empresas e consumidores, respondendo por US $ 48,2 bilhões de seus US $ 143 bilhões em receita em seu último ano fiscal.

O Windows 10, a versão mais recente, tem 1,3 bilhão de usuários, quase tantos quanto a base total de dispositivos instalados da Apple de 1,65 bilhão de usuários, mas menos da metade dos 3 bilhões de usuários do Android da Alphabet.0

Entre PCs e laptops, o Windows perdeu parte do mercado em 2020 para os Chromebooks do Google, já que as escolas optaram por dispositivos mais baratos para o aprendizado online, mas ainda mantiveram mais de 80% do mercado, de acordo com a empresa de dados IDC.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).