Os fatores que mais pesam na decisão de compra do consumidor que pretende fazer compras na Black Friday são preço, valor do frete e prazo de entrega. Para garantir que a Black Friday deste ano seja a maior da história, o Mercado Livre quer atacar essas três frentes.

No quesito preço, o Mercado Livre afirma que os produtos serão vendidos com até 70% de desconto. Em relação ao custo de entrega, a empresa vai oferecer frete grátis nas compras acima de R$ 99. O grande desafio é manter o prazo de entrega, que hoje é de 48 horas para 75% das vendas efetuadas pelo marketplace.

“Todos os anos, as empresas aumentam o prazo de entrega na Black Friday, porque o volume de vendas aumenta muito e a operação não consegue absorver. Nós estamos indo no caminho contrário: anunciamos uma frota de aviões. Com essa frota, conseguimos garantir prazos muito rápidos, inclusive nas longas distâncias”, disse Julia Rueff, diretora de marketing do Mercado Livre.

Além disso, o e-commerce reforçou a frota própria de entregas terrestres e investiu nos centros de distribuição (de onde saem os pedidos para a casa do cliente).

“Já temos a entrega mais rápida do Brasil, vamos manter isso, inclusive para maiores distâncias”, afirmou a executiva.

E os preços? Julia diz que o Mercado Livre conta com uma ferramenta que permite cobrir os preços da concorrência. “Não está funcionando para todos os produtos, mas a lista deve aumentar até a Black Friday.”

Vai ter uma condição especial de pagamento? O Mercado Livre já permite que as comrpas sejam pagas em até 12 vezes sem juros ou à vista, com desconto. O marketplace também possui um recurso de crédito para consumidores que não têm cartão de crédito comprarem a prazo.

Vai faltar produto? A diretora do marketplace diz que não. “Estamos lotados de produtos. Conseguimos garantir um estoque bem elevado.”

E qual vai ser o tamanho dessa Black Friday? O Mercado Livre não fala em números, mas a expectativa é de que as vendas praticamente dobrem em relação à Black Friday de 2019.

Quais os indícios de que essa Black Friday será a maior do e-commerce? Entre os motivos está o fato de que a penetração do e-commerce nas vendas totais do varejo saltou de 6% para 12% durante a pandemia. Além disso, 2,6 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra no Mercado Livre entre abril e maio.

“Muita gente está comprando online. Algumas estão comprando pela primeira vez e outras estão aumentando a recorrência ou comprando em novas categorias”, afirma Julia.

O que o consumidor deve comprar? Segundo a executiva, as categorias que mais se destacaram na pandemia foram as de casa, saúde e supermercado. Mas a Black Friday tem outro perfil de consumo. “Na Black Friday, tudo vende bem. Mas a data tem uma característica de ter um perfil de compra mais voltado para eletrônicos, celular, aparelhos de TV, notebooks e eletrodomésticos.”

Centro de Distribuição do Mercado Livre em Louveira, em SP
Crédito: Divulgação

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).