A Marfrig apresentou hoje em São Paulo o primeiro item da marca Revolution, de produtos feitos à base de planta. É o hambúrguer, que nasce com a promessa de ter sabor e textura de carne animal, mas é feito de soja.

O diretor de marketing da Marfrig, Leonardo Pereira, diz que a linha Revolution ganhará novos produtos a partir de 2020. Entre os itens em desenvolvimento estão nuggets, almôndegas e kibes.

Quando o hambúrguer Revolution vai entrar no mercado brasileiro? O produto estará disponível primeiramente para redes de restaurantes e de fast food. A primeira parceria foi com o Outback, que começa a servir o hambúrguer de carne vegetal a partir de janeiro.

Quando o produto vai estar disponível para o consumidor comprar nos supermercados? Até o fim do primeiro semestre. O plano inicial é oferecer primeiro o produto para outras redes de restaurantes, como Almanara e Chico Hambúrguer, e depois para o varejo.

Os outros itens da linha Revolution sairão quando? Esses outros devem ser lançados até o fim do segundo semestre de 2020.

Qual o tamanho do mercado de carne vegetal? Pereira diz que esse mercado é minúsculo no Brasil, coisa de menos de 1%. Mas que o consumo vem avançando no mundo – nos EUA, já chega a 10%. “Hoje, ainda é coisa de nicho.”

Por que desenvolver produtos para esse mercado tão pequeno? O diretor de marketing afirma que a Marfrig quer atender bem o chamado flextariano, que é aquele consumidor que ainda não abandonou a carne, mas já começou a repensar sua dieta, abandonando o consumo de proteína animal ao menos uma vez por semana. Para esse cliente, a empresa quer oferecer um hambúrguer que tem sabor de carne animal.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).